sexta-feira, 20 de março de 2009

Primavera

3 comentários:

simplesmenteeu disse...

Que seria das palavras se não contassem com a cor e a frescura das imagens?!...
Obrigada por esse olhar atento, que nos oferece a beleza que não vemos...

Beijo

chuva de prata disse...

Roseira, botão de gente...

A força
que eu tive no momento
tecendo o teu corpo
a primeira vez
está agora no teu ventre
em movimento
no filho que a gente fez

Depois irá pouco a pouco
ficando maior
por dentro de ti
e o teu corpo me segreda
quando o toco
que o meu filho está ali

Eu fui a semente
tu és o canteiro
de um cravo de carne
que tem o meu cheiro
eu fui o arado
tu és a seara
seara de trigo sem fim
seara lavrada por mim

O que um homem sente
quando a companheira
dá flor no presente
para a vida inteira
é como como se o sangue fosse uma fogueira
roseira, botão de gente
rosa da minha roseira

A vida que tece outra vida
é vida parida
é vida maior
tens agora a palpitar
a minha vida
no teu ventre, meu amor

Depois
o sangue dos dois
será vida nova
será uma flor
flor de carne a despontar na primavera
do teu ventre, meu amor

de Ary dos Santos


um beijo com aromas de Primavera...

Persida disse...

Olá caro amigo, gostei destas florers elas são lindíssimas, como gosto bastante de flores adoptei estas de oficio. Aproveito para lhe agradecer por ser meu seguidor no blog. Desejo-lhe óptimo dia.
Cordialmente,
Persida Silva